Buscar Doenças:
Doenças da Pele » Herpes Zoster


O QUE É HERPES ZOSTER?

Popularmente conhecido como “cobreiro”, é uma virose provocada pelo vírus da varicela, também chamado varicela- zoster vírus. Esta doença costuma ser mais agressiva em pessoas com a imunidade comprometida. Acredita-se que o vírus da varicela-zóster permanece dormente, apesar do organismo ter sido infectado previamente e o vírus ter sido debelado do organismo. Ele pernaceria no interior de alguns gânglios e poderia ser reativado quando a resitência do organismo estiver comprometida. 


PRINCIPAIS SINAIS E SINTOMAS
 
Os pacientes costumam referir sintomas prévios e em apenas um lado do corpo, no local onde o Herpes Zoster vai se manifestar, algumas horas antes do surgimento das lesões cutâneas. Estes sintomas podem ser uma sensação estranha no local, uma dor de leve a intensa, ardencia ou coçeira, sempre em um trajeto de um nervo, sempre em um lado apenas do corpo ou da face. Nas próximas horas, as lesões características surgem, que são pequenas vesículas (bolhinhas de conteudo líquido e transparente), agrupadas sobre uma base rosada ou avermelhada, formando agrupamentos semelhantes a cachos de uva. As lesões surgem gradualmente em 2 a 3 dias e podem sofrer infecção secundária, neste caso o conteudo das bolhinas fica purulento, amarelado. As bolhinhas ou vesículas tendem a regredir formando crostas, que evoluem para acura espontanea em 2 a 4 semanas. A erupção de vesículas é sempre unilateral, poucas vezes ultrapassando levemente a linha média e sempre seguindo o trajeto de um nervo.
A dor pode ser muito intensa, e permanecer mesmo após a cura ou desaparecimento das lesões da pele (nevralgia pós herpética). Nesse caso, é importante que o médico interfira na doença através de tratamentos específicos.
Alguns casos de Herpes Zoster facial podem se acompanhar de paralisias. 


TRATAMENTO 

Apesar de poder curar espontaneamente, drogas antivirais podem ser utilizadas, ajudando a prevenir a nevralgia, que pode permanecer após o episódio agudo desta doença. Outros medicamentos visam a atenuar a lesão nervosa e podem ser prescritos pelo médico. Quanto mais precoce o tratamento, melhor será a resposta.
Cuidados locais para prevenir infecções são tambem importantes. 


PREVENÇÃO 

Não há evidências de contágio direto deste virus de pessoa portadora do herpes zoster a outra pessoa ou por contato com um paciente portador de varicel. Mas, o contato direto com as lesões pode faciliar a transmissão a indivíduos predispostos. Então, o contato direto com as lesões deve ser evitado.
Em geral, o Herpes Zoster ocorre uma única vez, pois o virus costuma conferir imunidade definitiva, sendo improvável a sua recidiva.
Como se faz o diagnóstico?
O aspecto das lesões é típico, em geral, para o diagnóstico de herpes zoster.
Existe um exame de coleta do material da base da vesícula (bolha pequena) que é inespecífico, sendo os mesmos achados para a varicela, herpes simples e zoster.
Como se trata?
As medidas sintomáticas auxiliam e são muito eficientes, principalmente, no alívio da dor.
A terapia antiviral, em infecções não complicadas, acelera a cicatrização, reduzindo o número e dias de desenvolvimento de lesões novas e aliviando a dor do zoster. A terapia antiviral é útil se iniciada dentro das primeiras 72 horas depois do início das lesões de pele e pode ser de muita importância nos pacientes com mais de 50 anos ou imunocomprometidos.
Como se previne?
Estudos recentes e amplos têm demonstrado a utilidade da vacina contra Varicela na redução das complicações do herpes zoster e da neuralgia posherpética, principalmente em pessoas de idade avançada (maiores de 60 anos).A vacina contra varicela é recomendada de rotina na infância. Ela também pode ser recomendada para adultos que nunca tenham contraído Varicela.
 
Se você tem alguma dúvida sobre HERPES ZOSTER ou sobre os  tratamentos que são utilizados no seu controle, consulte um dermatologista.

  
  Doenças da Pele